Como prender a atenção das pessoas?

Como prender a atenção das pessoas?
18/04/2024 • ... • 119 visualizações
Vanessa Guedes
Escrito por Vanessa Guedes
foto da ranger rosa, dos Power Rangers, só do pescoço para cima, ou seja, o capacete rosa. Ela está com a mão levantada na altura do rosto, com a palma aberta pra cima, onde há um objeto dourado meio indistinguível. Acima do objeto está escrito “um pouco de atenção” e embaixo tem uma legenda escrito “era isso que você queria?”
Chamar e prender a atenção do público é uma arte!

Você sabe como chamar a atenção das pessoas e mantê-las interessadas no que você tem a dizer? O maior desafio da criação de conteúdo hoje em dia é esse: prender a atenção do público. Mas como? Todo mundo está lutando pela atenção das pessoas pela internet afora. Não é à toa que a expressão “economia da atenção” está na moda. Esse termo descreve a impossibilidade dos seres humanos de darem atenção para muitas coisas ao mesmo tempo. Isso gera todo tipo de desafio para quem trabalha com redes sociais, já que elas são baseadas na capacidade de atenção dos usuários. 

Para prender a atenção, é necessário compreender como as pessoas interagem nas plataformas pelas quais você e sua marca comunicam-se, inclusive para aprender a construir frases que chamem a atenção do público. Na maioria das redes, por exemplo, informação e entretenimento se misturam. Mas os cientistas já pesquisaram esse aspecto da relação entre humanos e redes sociais e hoje sabe-se que, para uma pessoa se sentir bem depois de gastar certo tempo dando atenção a uma coisa só, ela precisa ter uma sensação de satisfação. Algo que só acontece quando há um bom nível de engajamento entre ela e o conteúdo. Neste artigo, vamos entender como despertar esse engajamento e como podemos usá-lo para ganhar a atenção dos clientes.

Dicas de como atrair a atenção do público

Existem estratégias para quem quer reter a atenção das pessoas em suas plataformas. O ideal é usar essas estratégias com moderação, intercalando sua aplicação em vez de repetir sempre a mesma fórmula — as pessoas percebem e podem até deixar de acompanhar seu conteúdo. Abaixo listamos dicas de efeito para quem quer se conectar de verdade com o público atraindo e retendo sua atenção.

Entenda a sua audiência

Para conversar com a audiência, é preciso conhecê-la. Tudo começa ao definir quem é seu público-alvo, mas você também pode ir descobrindo novos nichos e novos consumidores ao longo do caminho. Existem ferramentas nas plataformas de email marketing, por exemplo, que podem ajudar nisso, pois trazem informações valiosas sobre os clientes. 

Além de tudo, há uma série de maneiras de compreender melhor o público. Como análise de dados, pesquisa de mercado, pesquisa demográfica e observação das interações nas mídias sociais. Fazer testes com a audiência também ajuda a entender como construir essa relação. Você não precisa se limitar apenas Às ferramentas que ajudam a ter uma visão mais precisa sobre quem é seu cliente, é possível combinar vários métodos para captar a essência da audiência e obter um panorama mais preciso dela.

Captura de tela de email mostrando a newsletter do Catarse. O título do email no topo é “Cuidado com o que você deseja”, abaixo, já no corpo do email, o símbolo de uma bússola colorida e o tíutlo Descoberta Catarse. O conteúdo do email aparece abaixo anunciando o quadrinho Daruma.
O título do email “Cuidado com o que você deseja” funciona como chamariz para os assinantes da newsletter do Catarse, que faz uma seleção de projetos de financiamento coletivo. Nesse caso, eles estão anunciando um projeto de quadrinhos que tem a ver com a frase do título do email, já que a história do quadrinho recomendado é sobre daruma, uma espécie de totem japonês que concede desejos aos humanos. É um ótimo exemplo de como entender público pode gerar conteúdos criativos

“Cuidado com o que você deseja”, abaixo, já no corpo do email, o símbolo de uma bússola colorida e o tíutlo Descoberta Catarse. O conteúdo do email aparece abaixo anunciando o quadrinho Daruma.

Comece com uma pergunta provocativa

Provocar pode ser uma forma de estimular uma pessoa. Mas uma pergunta provocativa não é necessariamente uma polêmica. Ela pode ser um questionamento que faça a pessoa parar um instante para pensar. A pergunta provocativa deve ser usada como uma espécie de desafio ou confronto, que não precisam ser negativos. Assim, a pergunta deve gerar curiosidade ou dar início a um debate. É importante salientar que só uma pergunta sobre um tema que mobiliza a audiência vai provocar esse efeito, por isso conhecê-la bem é parte fundamental desse processo. 

Captura de tela da newsletter da revista Elle, enviada por email. O título no topo “Look de Carnaval: o que vale o investimento e pode ser usado após a folia?”. Abaixo há uma caixa de texto lilás onde se tem o letreiro “Ronda Elle, newsletter semanal”. Abaixo segue o conteúdo da newsletter.
Um pouco antes do período de carnaval, quando as pessoas começam a procurar por fantasias, a revista Elle fez essa chamada na sua newsletter. Ao relacionar o “look de carnaval” a ideia de algo que possa ser usado depois vai de encontro à preocupação atual com excesso de consumo e sustentabilidade, temas que preocupam o público da revista

Fizemos uma lista como ponto de partida para elaborar perguntas provocativas.

  • Proponha um dilema. Traga uma situação delicada ou difícil que faça as pessoas sentirem vontade de expressar sua opinião. Um bom exemplo são aquelas perguntas de fundo altamente hipotético, como por exemplo “se você tivesse que escolher entre isso ou aquilo, o que faria?”
  • Confronte o senso comum. Você pode usar ideias e conceitos considerados normais, ou já resolvidos pela sociedade, e desafiá-los. Dá para usar uma estrutura nesse formato: “Você sabia que tudo o que sabemos sobre determinado assunto agora mudou e ficou desse outro jeito?”.
Captura de tela de newsletter. O título do email é “Nem tudo é desvalorização”, com o subtítulo “Buscando um olhar mais panorâmico”. Abaixo há a foto de um cachorro pastor branco e preto e o conteúdo do email.
O coletivo de designers de interface UX Collective tem uma newsletter para discutir assuntos da área com outros profissionais. Aqui, eles usam uma chamada simples, mas impactante. “Desvalorização” é uma palavra forte e também é um assunto em voga para profissionais do design. Usar uma negativa aqui tem o mesmo peso do que fazer uma pergunta provocativa
  • Atice a curiosidade. Nada como fazer alguém querer saber mais sobre alguma coisa para conseguirmos prender a atenção. Um bom jeito de usar esse efeito é uma chamada na linha “Você está pronto para descobrir o que encontraram dentro de tal coisa?”
Captura de tela de email. No título da mensagem “Trago fofoca. Aceita?”. Abaixo segue o corpo do email contando as novidades.
O projeto Firma Preta divulga oportunidades para profissionais de várias áreas. Neste exemplo, eles usaram o título do email para chamar atenção dos usuários e anunciar uma mudança na equipe
  • Mencione dados impressionantes. Compartilhar informações, números ou estatísticas que chamam a atenção ou quebram estereótipos pode ser um bom gancho. O segredo é contrastar os dados com outros, ou usar um dado novo para desbancar uma ideia já estabelecida pelo senso comum. Exemplo de estrutura: “Você sabia que mais pessoas fazem isso do aquilo quando estão no banheiro?”

Use storytelling

O termo storytelling vem do inglês e se refere à técnica de contar bem uma história. Nem sempre o termo é usado para falar diretamente de uma história, como em um filme ou livro, mas para transmitir uma mensagem ou valor. O storytelling pode (e deve) ser empregado na sua estratégia de marketing, pois é uma ótima ferramenta para gerar engajamento e interações.

Para usar o storytelling a seu favor, você pode seguir uma estratégia simples:

  1. Entenda sua mensagem. Antes de criar conteúdo, é indispensável ter uma mensagem principal clara. Defina bem a ideia, sensação ou emoção que quer passar na sua campanha. Você pode usar os valores e missão da sua empresa para guiar esse processo.
  2. Escolha o ponto de vista. Storytelling é sobre contar histórias. E para contar bem uma história é importante escolher o ponto de vista mais adequado, pois é através dele que a audiência vai navegar essa história.
  3. Crie uma narrativa. Produza uma história bem estruturada, que sirva para transmitir a mensagem que você deseja. Essa narrativa pode ser pouco óbvia para a audiência, mas ela deve ser clara para quem realiza a comunicação.
  4. Seja original. Use elementos únicos da sua visão de mundo para revelar a identidade por trás do serviço ou produto que você está oferecendo.

Apresente um problema e uma solução:

Outra forma de reter a atenção do público é expor um problema — ou seja, despertar a curiosidade ou provocar uma reflexão — e logo em seguida propor uma solução. Você pode começar com uma pergunta, como falamos anteriormente, e então jogar o foco para a explicação da solução, esmiuçando a parte que apresenta uma saída ou salvação. Você pode usar essa estratégia para gerar um apelo emocional mais profundo ou para contar uma história que faça as pessoas se conectarem. O importante é que no final seja usado uma chamada para ação — o famoso CTA, call to action, cujas chances de acontecer são altas depois que a pessoa investiu certo tempo pensando no problema e solução.

Captura de tela de email. O assunto da mensagem é “Garanta a segurança da sua obra com o Registro de Direito Autoral”. No conteúdo, fundo azul claro com letreiro preto na chamada em destaque “Proteção de sua criação intelectual é com a CBL”.
Neste exemplo, o início do título “Garanta a segurança…” implica que a pessoa leitora da chamada precisa garantir a segurança de algo; no caso, a segurança da “obra”. IEntão, a Câmara Brasileira do Livro mediatamente põe-se como a solucionadora do problema. No conteúdo do email, o assunto é explorado de forma ampla e informativa

Crie um gancho intrigante:

No momento em que a pessoa bate o olho no texto, você precisa dar a ela um bom motivo para continuar no seu conteúdo. Isso pode ser feito com um gancho intrigante, algo que fisgue a atenção. O gancho pode ser uma pergunta provocativa, como citado antes, ou um apelo visual bem construído.

Aqui vale usar ferramentas de inteligência artifical, por exemplo, para ajudar na elaboração de ganchos criativos.

Use linguagem visual

O cérebro costuma processar informações visuais mais rápido do que a leitura. Usar uma linguagem visual pode ter um efeito positivo para prender a atenção do seu público. Você pode comunicar ideias e informações de forma rápida com recursos visuais. Usar imagens que criam um impacto, criar uma identidade visual consistente e usar de elementos gráficos para destacar informações são exemplos de como a linguagem visual pode ajudar no storytelling da sua estratégia de marketing.

Seja direto e conciso

Uma linguagem simples e direta é muito útil para captar a atenção das pessoas. Informações de fácil compreensão são mais rapidamente assimiladas. Para fazer isso, basta começar identificando a informação principal da sua comunicação e qual é a essência da sua comunicação. Assim você pode organizar o conteúdo de forma que chame a atenção o suficiente para a pessoa receber a mensagem principal e entendê-la imediatamente. Foque na clareza da mensagem, evite se repetir e, sempre que possível, edite e revise o conteúdo para garantir que as informações estão corretas.

Considere a jornada do usuário

A jornada do usuário é como chamamos o percurso do consumidor desde o  primeiro contato, passando pelas interações, até o final da experiência dele como cliente. Você deve considerar esse trajeto na hora de pensar as estratégias de retenção de atenção, já que o efeito dessas interações vai refletir no tipo de contato e conexão que a pessoa vai construir com seu produto, marca ou campanha.

Dirigir-se ao leitor

Para conversar com seu público, além de conhecê-lo muito bem, é importante pensar na linguagem, na autenticidade e no sentimento que você quer passar nas interações. A estratégia e o cuidado com a linguagem ao falar com o leitor é o que acaba estimulando as interações e permanência da pessoa. Você prefere ficar nos lugares onde você se sente bem, certo? O mesmo acontece com o seu leitor. Faça-o se sentir bem, compreendido e acolhido. Vale também provocá-lo um pouco, fazê-lo pensar um pouco, mas proporcionando um espaço de comunicação seguro para que ele se questione.

Use práticas de escaneabilidade

A escaneabilidade é o que garante que o leitor entenda a mensagem na primeira “batida de olho”. É a capacidade de elaborar uma mensagem que pode ser rapidamente compreendida ao primeiro contato. Para alcançar uma boa escaneabilidade, você pode focar em:

  • Títulos e descrições. Use títulos concisos, claros e simples. Se possível, e se você avaliar que funciona com seu público, usar a criatividade também vale. Procure escrever títulos que caibam inteiramente na visualização da caixa de entrada dos usuários, o ideal para isso é usar de 30 até 50 caracteres.
  • Textos curtos. Eles são mais fáceis de serem compreendidos e podem levar vantagem sobre conteúdos mais extensos. Porém, se o texto precisar ser longo, procure usar parágrafos curtos.
  • Destaques visuais. Você pode usar diferentes estratégias de formatação no texto para dar destaques distintos às informações. Usar listas, palavras e frases em negrito ou itálico, empregar hierarquia de cabeçalhos etc. Além disso, o uso de diferentes fontes tipográficas ajuda a destacar e organizar o conteúdo da mensagem.
  • Divisão das informações. Dividir o texto em blocos de informação pode ser bom para guiar a leitura do texto. Muitas vezes os espaços em branco, por exemplo, podem fazer um “desenho” por onde a atenção da pessoa percorre.
  • Palavras-chave. Atente-se às palavras-chave, aquelas essenciais para passar a sua mensagem. Destaque-as e faça com que o leitor as encontre do jeito mais fácil e acessível que você puder.

Usando essas dicas básicas, você pode ter certeza que sai na frente na escaneabilidade do seu conteúdo.

Personagem Son Gohan, de Dragon Ball (homem branco com cabelos loiros espetados pra cima) com a mão aberta em direção de quem vê a imagem. No letreiro acima está escrito “toma, tá aqui a atenção que você queria”. Na palma da mão dele está escrito “Atenção”.

Conclusão

O mais importante sobre prender a atenção das pessoas, no fim, é trazer um conteúdo que faça sentido para elas. Que resolva algum problema ou que faça uma pergunta nova, gerando uma reflexão produtiva. Você só consegue gerar esse tipo de engajamento quando conhece bem o seu público.

Por isso, prestar atenção no que seus leitores falam e quais assuntos são importantes para eles é essencial.

Se você quer atenção, preste atenção antes. E boa sorte!

Artigo escrito por
Vanessa Guedes
Vanessa Guedes escreve a newsletter Segredos em Órbita. É programadora, podcaster no Incêndio na Escrivaninha e editora na Eita! Magazine. Também escreve ficção especulativa.
Saiba mais Vanessa

Artigos mais recentes